Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 21 - segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Navio russo que levou as 2.750 toneladas de nitrato de amônio a Beirute, em 2013, jamais deixou o porto - e pode estar na raiz da mega explosão. O navio afundou

Quinta 06/08/20 - 9h56

Carregamento maciço de fertilizantes agrícolas teria sido armazenado no porto de Beirute, em 2013, sem as precauções requeridas.
NAVIO
O carregamento de 2.750 toneladas de nitrato de amônio chegou a Beirute em navio russo, há 7 anos, em 2013.
DISTÚRBIOS
O navio, chamado MV Rhosus, estava destinado a Moçambique. Parou em Beirute devido a dificuldades financeiras, e ocorreram distúrbios com a tripulação russa e ucraniana.
NUNCA
O navio nunca deixou o porto de Beirute, segundo o diretor de alfândega do Líbano, Badri Daher, apesar dos avisos repetidos de que a carga era "uma bomba flutuante".
CAUSADA
A CNN internacional revelou: as autoridades libanesas não identificaram nominalmente o MV Rhosus como a fonte da substância que explodiu em Beirute na terça-feira, mas o primeiro-ministro Hassan Diab disse que a explosão devastadora foi causada por 2.750 toneladas de nitrato de amônio.
SEM
Ele acrescentou que a substância foi armazenada por seis anos no armazém portuário sem medidas de segurança, "colocando em risco a segurança dos cidadãos".
AFUNDOU
O ex-capitãodo navio russo, mas com bandeira da Moldávia, revelou que o navio tinha muitos problemas por falta de manutenção e que afundou após ser liberado.