Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 21 - domingo, 29 de novembro de 2020

Buraco negro e objeto supermassivo no centro da galáxia rendem Nobel de Física a 3 cientistas - 1 britânico, 1 alemão e norte-americana

Terça 06/10/20 - 7h16

O prêmio Nobel de Física 2020 foi concedido ainda há pouco a Roger Penrose "pela descoberta de que a formação do buraco negro é uma robusta previsão da teoria geral da relatividade", e a Reihard Genzel e Andrea Ghez "pela descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia". Andrea Ghez é o terceiro nome premiado.
ROBUSTA
Roger Penrose, britânico de 89 anos, levou o prêmio pela descoberta de que a formação de buracos negros é uma previsão robusta da teoria geral da relatividade; ele ficará com metade do prêmio. Ele é professor da Universidade de Oxford, no Reino Unido.
METADE
Reinhard Genzel, alemão de 68 anos, e Andrea Ghez, americana de 55 anos, ficarão com a outra metade, pela descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia.
AFILIADO
Genzel é afiliado ao Instituto Max Planck para Física Extraterrestre em Garching, na Alemanha, e à Universidade da Califórnia em Berkeley, também nos EUA.
TEORIA
O comitê do Nobel avaliou que o trabalho de Penrose "usou métodos matemáticos engenhosos em sua prova de que os buracos negros são uma consequência direta da teoria geral da relatividade de Einstein".
BURACO
Já o de Genzel e Ghez "deu à ciência a evidência mais convincente de um buraco negro supermassivo no centro da Via Láctea".
COROAS
Os vencedores dividirão o valor de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,3 milhões).