Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 22 - domingo, 24 de outubro de 2021

Municípios chamados a salvar o "rio meu de amor", de Guimarães Rosa, no Norte de Minas: Buritis, Formoso, Arinos, Chapada Gaúcha, Urucuia, Riachinho, Bonfinópolis, Santa Fé, Unaí, Uruana, São Romão e Pintópolis

Domingo 19/09/21 - 7h21

Mais informações sobre o projeto para recusar o Rio Urucuia, um dos mais importantes do Norte de Minas e aquele que o escritor Guimarães Rosa chamava de "rio meu de amor:


- O Pró-Águas Urucuia, que integra o Programa Águas Brasileiras, vai atender 12 cidades de Minas Gerais (Buritis, Formoso, Arinos, Chapada Gaúcha, Urucuia, Riachinho, Bonfinópolis de Minas, Santa Fé de Minas, Unaí e Uruana de Minas, São Romão, Pintópolis) e duas em Goiás (Formosa e Cabeceiras).

- A ação conta com o aporte de R$ 105,8 milhões em investimentos do governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional, para promover a conservação do solo e da água e a recomposição da vegetação nativa em dois mil hectares de áreas degradadas do Rio Urucuia, estratégica para o rio São Francisco.

- A ação visa aumentar a disponibilidade de água, contribuindo com a segurança hídrica para o abastecimento humano, a dessedentação animal e o suporte à produção agrícola e ao desenvolvimento sustentável da região Noroeste de Minas Gerais.

- O projeto prevê ainda o plantio de 4,5 milhões de mudas de espécies nativas do cerrado ao longo de sua execução, que tem um prazo previsto de até 60 meses. Além disso, cerca de 10 mil alevinos (peixes juvenis) da espécie curimatã pacu serão lançados no rio Urucuia. Os animais são provenientes do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf, em Três Marias.

- 371 máquinas e equipamentos vão beneficiar cerca de 480 mil pessoas em 24 municípios da região Noroeste do estado.

- O investimento no maquinário, que poderá ser utilizado pelas prefeituras na revitalização de áreas degradadas e em atividades diversas de produção e apoio, foi de R$ 17,7 milhões. Os recursos foram investidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), instituição vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais